12 Monkeys

12 Monkeys

Não é todo dia que testemunhamos algo como “12 Monkeys“, série que chega ao fim com um lugar especial na prateleira dos Clássicos de Sci-Fi e Viagens no Tempo.

Nunca esperei tanto por uma temporada de uma série. Ela consegue propor e segurar muito bem os enigmas a cada episódio, com boas viradas de história, personagens interessantes e uma inteligente trama de viagem no tempo como jamais vi. Um prazer pra quem curte o gênero.

Dos showrunners Terry Matalas & Travis Fickett, 12 Monkeys é uma série baseada na mesma premissa do filme “Twelve Monkeys” do diretor Terry Gilliam, que conta a história de James Cole (na série Aaron Stanford), viajante do tempo de 2043 enviado até 2016 para impedir a liberação de um vírus mortal pela organização enigmática conhecida como “O Exército dos Doze Macacos”.

Na série James Cole conta com a ajuda da virologista Cassandra Railly (Amanda Schull) e a filha de um empresário bilhonário internada em um hospital psiquiátrico,  Jennifer Goines (Emily Hampshire) para essa missão contra o destino, o tempo e uma enigmática figura conhecida apenas como “A Testemunha”.

Por ser baseada na mesma premissa e não ser um remake, permitiu os showrunners explorarem muito mais o universo. A cada temporada a qualidade de produção melhorou, destaque para as atuações de Emily Hampshire e  Aaron Stanford, que fez Pyro em “X-Men – O Confronto Final” e foi muito  melhor aproveitado como ator protagonista. Amanda Schull também foi determinante para a série assim como,  Kirk Acevedo (Ramse), Barbara Sukowa (Dra. Jones) e Todd Stashwick (Deacon) que também tiveram ótimas atuações caracterizando bem cada personagem sem fugirem de seus arquétipos, o elenco realmente fez diferença na série. Gravem esses nomes.

O Design de Produção (antiga Direção de Arte) da série caprichou na ambientação das diversas épocas que a série propõe retratar. Quem gosta de ver épocas diferentes em uma mesma série vai curtir. Você realmente entra em cada período histórico ao assistir, presenciando acontecimentos no passado, presente e futuro de forma tramada e empolgante. Sem contar os artefatos antigos, fotos, objetos e detalhes que criam um verdadeiro deleite pra que curte histórias de viagens no tempo e para seus criadores imagino. Falar mais é spoiler.

O clima de desolação de 12 Monkeys lembra muito a série de games “Fallout“, alias uma curiosidade: uma das inspirações dos roteiros do filme “Twelve Monkeys” e “The Terminator” vem do curta francês “La jetée” (1962), que também inspirou o game citado. Todas essas referências e várias outras relacionadas a viagem no tempo estão presentes na série praticamente a cada episódio.

O fato de Terry Matalas ser super fã do gênero deixa a série com um trabalho detalhista muito gostoso de se ver. Há dedicação em cada elemento, inclusive em trazer participações especiais como Madeleine Stowe (atriz que viveu Dr. Railly no filme “Twelve Monkeys”) e Christopher Lloyd (“Doc” Emmett Brown de “De Volta para o Futuro“).

Com 4 temporadas de 12 episódios em média, é fácil de maratonar e está bem fechada, sem enrolações. Consegue segurar bem as transições de temporada, mesmo eu tendo me incomodado com um detalhe em uma das transições. A trama é bem costurada e não me decepcionei depois de ver todas temporadas. Descobrir as soluções dos enigmas propostos e acompanhar os detalhes que desde lá do começo da série já estavam presente é uma experiência única que, vai por mim, você vai gostar e muito.

Vale os 5 ceasars justamente por ser uma série praticamente impecável ao que se propõe, respeitando o gênero, referenciando o passado e se tornando um exemplo de trama inteligente para as futuras séries que se inspirarão nela. Mantenha a lei da casualidade e assista sem spoilers, vale cada descoberta.

Compartilhe:

Autor

Ribamar Nascimento

Ribamar Nascimento