CC 05 – Esse tal de A Bela e A Fera

CC 05 – Esse tal de A Bela e A Fera

Nesse episódio, Bruno Guedão e Rebeca Guedes falam sobre a refilmagem da animação da Disney, a Bela e a Fera.

Use os botões acima para ouvir e baixar. Caso tenha optado por baixar, clique com o botão DIREITO do mouse, e escolha a opçãosalvar destino como” ou dependendo do seu navegador, “Salvar link como”

  E-mail   Assine nosso feed  Curta-nos   Siga-nos

Compartilhe:

Autor

Casal Comum

Casal Comum

<p>é um programa que fala sobre tudo e mostra que os casais são mais parecidos do que eles pensam.</p>

  • Guedão: “eu sou a Fera…grrarr”. kkkkkkkkkk Tigrão.

    • Bruno Guedão

      Brlbrlbrlbrl

  • Lourival Gonçalves

    Cheguei!Baixando.

  • A participação da feiticeira não enfraquece a história de jeito nenhum. Ela reforça inclusive um conceito cristão: no final das contas, o monstro não chegou a merecer misericórdia, mas a mulher fez um julgamento que não se baseou no seu mérito, e deu a ele uma nova chance. Isso também indica que ela tinha um plano para a Fera desde o início. o.O Na verdade, eu não faço questão de tirar lição nenhuma do filme, só achei que deu pra enxergar isso na cena em questão.

    • Bruno Guedão

      É uma boa leitura João! Mas eu acho que tem que se esforçar um pouco para ver dessa forma já que o personagem dela não é aprofundado em nenhum momento. Não sabemos suas reais motivações e por isso temos que conjecturar. Ela quis dar uma lição para a Fera? Ela errou? etc. Não acho que ficou ruim, mas não acrescentou muito para a história e retira um pouco da redenção e da magia que tem no final do filme na animação, na minha opinião. 🙂 Valeu pelo comentário!

    • Concordo com Vc João , de fato a presença “em estilo de supervisão” da feiticeira, não enfraqueceu a história de forma alguma. Somente fixou uma diferença da obra em animação. Entretanto no roteiro do Live Action ficom bem articulado. Já com relação a sua avaliação com relação ao conceito cristão, não sei se chega a esse grau de fidelidade, pois enfim a questão meritória fuca clara no decorrer do filme todo incluindo o final. A única coisa que é quebrado é o aspecto de contrato “diabólico” amarrado mais no tempo e nas obrigações de forma cabal do que no AMOR VERDADEIRO… Algo, inclusive, que ja haviam utilizado em Malévola.

      Valeu pelo seu comentário…
      Não pare só nesse e comente as nossas outras atrações.
      Pra facilitar pode usar diretamente o FÓRUM GERAL DE COMENTÁRIOS…

      Fique com a gente e até a próxima.


      • Tá ai o link para o FÓRUM PERMANENTE DE COMENTÁRIOS DO SALADA, nele vc pode ter acesso direto para comentar TODAS as nossas atrações, no melhor estilo “Serial Commenter”…
        VISITE, COMENTE AS NOSSAS ATRACOES e divulgue.

        https://disqus.com/home/forums/saladacult/

  • pedro henrique

    Muito legal o podcast ,Guedão e Rebeca !
    Não vi ninguem comentar a questão do homem que procurava algo,mas não se lembrava. Ele procurava a Madame Samovar (o bule)!
    Achei que as mudanças foram pontuais e ajudaram o filme a ter um sabor a mais, para não ser exatamente igual a animação.
    Achei acertado o fato de no filme a Fera saber ler, afinal ele era um nobre com uma vasta biblioteca, por exemplo.
    O que não faz sentido é o pai da Bela voltar a vila , sabe se lá como, e o cavalo ainda estar lá esperando pela Bela; já que na animação uma carruagem mágica o leva de volta.

  • Eu achei a atuação da Fera melhor que a da Bela. Passou mais o “sentimento”. Mesmo assim, achei um ótimo filme. Eu nem lembrava mais da história “original” 🙂

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

    • Bruno Guedão

      Caraca Eddie! Só viu agora? Heheh