Futurama/Simpsons Infinitely Secret Crossover Crisis (2002)

Futurama/Simpsons Infinitely Secret Crossover Crisis (2002)

Hoje trago uma resenha desse crossover que aconteceu, nos quadrinhos, entre as duas séries animadas de Matt Groening. A história foi publicada em duas edições pela Bongo Comics e depois foi encadernada, aliás com uma acabamento fantástico e se passa com foco no mundo de Futurama onde Os Simpsons são personagens de quadrinhos.

A revista faz referência ao episódio “The Day the Earth Stood Stupid“, em que Fry salva a terra por ser imune aos ataques psíquicos de cérebros malignos após ser enviado com Leela, por Brain Spawn, para obras de literatura como Tom Sawyer e Moby Dick . Você lembra?! Tudo bem, não faz falta! 🙂

O gibi brinca com metalinguagem e arranha um pouco na coisa da quebra de quarta parede. O exagero presente nas séries é respeitado e as comparações com as personalidades e estruturas das duas séries se faz presente em quase todo momento, assim como arte que está linda. Se nada mais te agradar creio que pelo menos a arte e a fidelidade a animação sejam o maior atrativo para ler esta obra.

Tudo começa porque Fry, Bender e Leela estão a caminho do planeta vivo de Nerdanus XII para entregar a maior coleção de gibis do universo. Quando chegam no planeta eles são surpreendidos pelos Cérebros Malignos. Por culpa do Fry, para variar, toda tripulação do Cometa Express (que nem estava na história) é presa numa revistinha e sem memória. Apenas Fry e Nibbler conseguem lembrar que são reais e estão num gibi. e aventura começa.

A amnésia da trupe é uma boa desculpa para poder explorar toda a cidade de Springfield e conectar os personagens que tem suas semelhanças, enquanto Fry tenta falar com Bart e Nibbler vira um bebê nas mão da Margie. No final, obviamente o Sr. Burns vira o grande vilão da história e proporciona muitas piadas. Óbvio que tudo é muito conveniente, mas convenhamos que é um gibi nonsense focado na comédia e “tiração de sarro”. Dá um desconto vai!

O roteiro é de Ian Boothby e contém todos os ingredientes que conhecemos das animações, além de um enredo absurdo e catastrófico para o universo, digno de uma boa Crise da DC Comics, e os desenhos são de James Lloyd com maestria que geram alguns quadros que mereciam minha parede. Ah, claro que não podia faltar uma homenagem ao mundo dos comics com as famosos e clássicas cabeças de personalidades. Tenta reconhecer todas 🙂

Se tiver interesse em ler pode comprar a versão física na amazon.com ou sua versão digital!

Compartilhe:

Autor

Burita

Burita

gostaria de ser transportado para um gibi :)