Lunchbox (2013)

Lunchbox (2013)

A indústria cinematográfica na Índia é profícua em quantidade de produções, levando anualmente milhões de pessoas às salas de cinema. Aqui no Brasil, no entanto, dificilmente temos a oportunidade de assistir a alguma obra indiana. A julgar por “Lunchbox”, é uma pena.

O filme se passa em uma Mumbai populosa (com o perdão do pleonasmo), onde Saajan Fernandes (o excelente Irrfan Khan, o mesmo de “As Aventuras de Pi” e “Quem quer ser um milionário”) é um contador que trabalha numa repartição pública, viúvo, às vésperas da aposentadoria. Mal humorado, lacônico e solitário, Fernandes não tem mais grandes aspirações na vida, e, neste caso, até treinar o jovem que vai substituí-lo no trabalho torna-se um fardo que ele encara com grande enfado e mal humor. Até que uma situação inusitada muda a vida de Fernandes…

A eficiente empresa que distribui marmitas na hora do almoço em Mumbai troca a comida do personagem principal, entregando a ele, por engano, a marmita que Ila (Nimrat Kaur) – uma dona de casa dedicada, porém infeliz – prepara diariamente para o marido desatento e infiel. O engano se repete no dia seguinte, e no outro também… e o que temos a partir de então é uma deliciosa história que mistura romance, comédia e muita sensibilidade.

O acerto do roteiro torna uma história inverossímil para os dias atuais absolutamente envolvente e engraçada. Fernandes passa a se corresponder com Ila por meio de bilhetes dentro da marmita, recriando uma romance à moda antiga. Os bilhetes vêm e vão diariamente e a ansiedade da espera pelas palavras traz um sopro de felicidade e esperança na vida dos dois. É a prova de que pequenas coisas no dia a dia, por mais simples que possam parecer, são responsáveis pela construção da nossa felicidade.

Fernandes, até então um homem rabugento e egoísta, passa a enxergar sentido na vida e, por mais pueril que possa parecer, a história é cativante e os três atores principais são um acerto (Irrfan Khan, Nimrat Kaur e Nawazuddin Siddiqui, que interpreta o futuro substituto de Fernandes no emprego).

No final das contas, Lunchbox é um filme delicado, bonito e engraçado, que trata de sonhos e sensações, a começar pelo paladar de Fernandes, que é conquistado pelo tempero, pela sensibilidade e pelas palavras de esperança de Ila.

Compartilhe:

Autor

Philipe Deschamps

Philipe Deschamps

é jornalista, comentarista de esportes e cinema, e tem uma coluna de cinema no programa Arte Clube da Rádio MEC-RJ.