Supergil (1ª Temporada)

Supergil (1ª Temporada)

Supergirl é uma série que estreou em 2015 e conta a história de Kara Zor-El, a prima do Superman que veio para Terra antes da destruição de seu planeta natal. A série foi criada por Greg Berlanti que também tem em seu currículo Arrow e The Flash.

Sinopse (Via Minha Série)
Kara Zor-El escapou de seu planeta, Krypton, durante sua destruição há anos. Desde que chegou à Terra, ela conseguiu esconder seus poderes, os quais compartilha com seu primo, o Super-Homem. Agora, aos 24 anos, Kara decide assumir suas habilidades sobre-humanas e ser a heroína que sempre foi destinada a ser.

Na primeira vez que vi o piloto da série eu achei ridícula, uma mistura de “O Diabo Veste Prada” com super poderes. À medida que fui assistindo, percebi que realmente era essa mistura mesmo mas tentei me desprender ao máximo daquilo que eu como público espero de uma série. Definitivamente eu não sou o alvo dessa série, porém entendo o valor dela hoje em dia.

Ela tem a mesma estrutura de todas as séries da CW (canal em que atualmente é transmitida nos Estados Unidos). Tem o herói (nesse caso uma heroína), sua equipe de apoio, os interesses amorosos, o vilão semanal e os efeitos especiais de baixo orçamento mas que nessa série às vezes surpreendem, principalmente por ter muitas cenas de vôo.

O que incomoda na série não é só a temática teen (que é realmente o púbico do canal), mas também os roteiros de todos os episódios que são basicamente os mesmos. São ruins e repetitivos até quando eles colocam o mundo inteiro em perigo pelo menos umas 4 vezes por temporada. Os atores são bem ruins mas pelo menos a Supergirl (Melissa Benoist) tem um certo carisma.

Entendo a importância da série pois ela tem uma linguagem adolescente e acho super legal que ela exista. Primeiro porque é uma porta de entrada para que crianças e adolescentes se interessem pela temática super herói sem ser contaminados pelas abordagens sombrias e realistas. Segundo porque vivemos em uma época em que o Girl Power é algo muito em voga e a série traz isso de um jeito interessante sem ser forçado. Algo muito legal também é que ela abraça o conceito de quadrinhos e não tem vergonha de mostrar alguns personagens mesmo quando são incrivelmente toscos.

A minha nota é baseada no meu gosto e no que eu vejo, mas a série merece 4 caesars pelos olhos do público a que ela é direcionada. Se você quiser apresentar esse mundo de super heróis para seus filhos, essa é a série!

 

Compartilhe:

Autor

Felipe Xavier

Felipe Xavier

definitivamente não é o público dessa série mas entende seu valor.